Folículos ovarianos: qual sua importância para a fertilidade?

Fale conosco pelo WhatsApp

Estruturas responsáveis por armazenar o óvulo são um importante marcador da fertilidade feminina

A quantidade de folículos ovarianos determina a capacidade fértil da mulher, já que essa estrutura armazena o oócito, a célula reprodutiva feminina, conhecida popularmente como óvulo.

Ao nascer, a mulher já possui uma quantidade determinada de folículos que se formam ainda na fase de desenvolvimento embrionário. A cada ciclo menstrual, essa reserva ovariana diminui porque ocorre a perda natural de folículos ovarianos. Esse ciclo termina com a chegada da menopausa, a última menstruação, que marca o fim da fase reprodutiva feminina.

Agende sua consulta e entenda como a medicina reprodutiva pode te ajudar.

Agende uma consulta

O que são folículos ovarianos?

Os folículos ovarianos são pequenas estruturas (bolhas de líquido) que armazenam os óvulos, as células reprodutivas, circundados por células epiteliais que produzem hormônios sexuais.

Os folículos são importantes para a fertilidade porque se desenvolvem a cada ciclo menstrual e liberam os óvulos, além de sua produção hormonal auxiliar na preparação do endométrio para receber uma possível gravidez.

Quantos folículos em média as mulheres possuem?

Os folículos constituem a reserva ovariana, formada ainda na vida intrauterina durante a 4ª a 6ª semana de gestação, portanto não há produção de óvulos após o nascimento. Quando uma menina nasce, estima-se que ela tenha de 1 a 2 milhões de folículos ovarianos, mas essa quantidade já cai para 300 a 400 mil com a chegada da puberdade.

A cada ciclo menstrual, centenas de folículos ovarianos são perdidos porque somente um chega ao estágio final de desenvolvimento para liberar o óvulo. Por esse motivo, a reserva ovariana diminui progressivamente com o passar do tempo.

Como funciona o ciclo menstrual?

Ao saber como funciona o ciclo menstrual, é possível entender por que o número de folículos cai.

  • O início do ciclo menstrual é marcado pelo recrutamento dos folículos ovarianos que sob o estímulo do hormônio folículo-estimulante (FSH), produzido pela hipófise, iniciam seu crescimento.
  • Em seguida, em geral, um folículo torna-se o dominante crescendo até atingir cerca de 2cm, e começa a produzir o estrogênio para preparar o endométrio para uma possível gravidez. Os outros folículos que não cresceram serão absorvidos pelo organismo.
  • A fase de ovulação começa com o aumento da produção do hormônio luteinizante (LH), que estimula o rompimento do folículo ovariano para liberar o óvulo.
  • Após a liberação do óvulo pelo folículo dominante, inicia-se a fase lútea. O folículo rompido se transforma em corpo lúteo, produzindo uma quantidade maior de progesterona para favorecer uma possível gravidez.

Se não ocorrer uma gestação, o corpo lúteo interrompe a produção de hormônios, o que causa a descamação do endométrio e o sangramento, iniciando a menstruação e um novo ciclo.

Para saber mais, entre em contato com a Mater Prime.

Agende uma consulta

Qual a relação entre os folículos ovarianos e a fertilidade?

O número de folículos ovarianos de uma mulher define qual é sua reserva ovariana, um dos mais importantes marcadores de fertilidade. Portanto, essa é uma relação direta porque quanto maior a reserva ovariana, maiores são as chances de conseguir uma gravidez bem-sucedida.

Como vimos, diversos folículos são recrutados e eliminados a cada ciclo menstrual, sendo que somente um chega ao estágio final para liberar o óvulo. Estima-se que uma mulher de 35 anos já tenha liberado mais de 120 mil folículos, por isso as chances de gravidez são mais reduzidas em relação a uma mulher mais jovem.

Qual a importância da estimulação ovariana na reprodução assistida?

A estimulação ovariana é a primeira etapa dos tratamentos de reprodução assistida, pois possibilita o crescimento de vários folículos por meio de medicamentos hormonais. O objetivo é liberar um número maior de óvulos para aumentar as chances de gravidez.

Nas técnicas de baixa complexidade, como inseminação artificial e coito programado, os ovários são estimulados com uma intensidade menor em comparação à fertilização in vitro (FIV), técnica de alta complexidade que oferece maiores taxas de gestação aos casais inférteis.

Para saber mais, agende uma consulta com a Mater Prime.

 

Fonte:

Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida

Blog

Confira as últimas novidades do mundo da Reprodução Humana

Youtube Dr. Rodrigo Rosa x