Fale conosco pelo WhatsApp

Miomas Uterinos

Imagem de um útero com miomas

Os miomas são tumores benignos que podem causar sangramento anormal, dor e dificuldades gestacionais

Os miomas uterinos são tumores benignos que se formam no tecido muscular do útero, acometendo principalmente mulheres em idade reprodutiva — isto é, na fase em que elas menstruam e podem engravidar. Esta é uma alteração relativamente comum e, na maioria dos casos, os miomas não provocam sintomas significativos, sendo diagnosticados em exames de rotina que incluem ultrassonografia ou histeroscopia.

Muitas mulheres se assustam ao receber o diagnóstico de miomas uterinos, mas não é necessário se preocupar: é muito raro que esta alteração leve ao desenvolvimento de câncer com o passar dos anos. Por outro lado, é fundamental que essas pacientes acompanhem a condição, pois ela está associada a outras complicações, como anemia, dores e até mesmo infertilidade.

Como se formam os miomas uterinos?

O mioma uterino é uma patologia de causas desconhecidas que se desenvolve quando as células do tecido muscular do útero se multiplicam de forma desordenada e formam o tumor. É sabido que os hormônios progesterona e estrogênio têm relação direta com o desenvolvimento dos miomas e, justamente por isso, as formações tendem a diminuir com a menopausa.

Além dos hormônios, predisposição genética, obesidade, alimentação inadequada, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, início da menstruação em idade precoce e nuliparidade (não ter filhos) podem influenciar a formação dos miomas. Mulheres que fazem terapia de reposição hormonal também podem desenvolver miomas uterinos.

Sintomas e diagnóstico

A maioria das mulheres com miomas uterinos não apresenta qualquer sintoma relacionado à alteração, e a presença dos tumores benignos é identificada durante a realização de exames ginecológicos de rotina. Quando o mioma é grande ou múltiplo, entretanto, a paciente pode manifestar os seguintes sinais clínicos:

  • Cólicas intensas;
  • Dor durante as relações sexuais;
  • Prisão de ventre;
  • Período menstrual prolongado;
  • Sensação de inchaço;
  • Dificuldade para urinar;
  • Ganho de peso.

Em geral, o diagnóstico é feito a partir de exames de imagem que permitem visualizar a cavidade uterina, tais como ultrassom transvaginal e histeroscopia.

Tratamento dos miomas uterinos

Por ser uma alteração benigna, o mioma de útero não precisa necessariamente de tratamento, sendo indicado apenas que a paciente faça um acompanhamento periódico da progressão dos tumores. Nos casos em que a presença da alteração causa sintomas incômodos — como dor intensa ou menstruação abundante —, o ginecologista poderá indicar metodologias que auxiliam no controle da alteração.

As principais formas de tratar e controlar os miomas uterinos são:

  • Uso de anti-inflamatórios e analgésicos para controle das cólicas e reduzir o sangramento;
  • Uso de medicamentos hormonais;
  • Suplementação de ferro;

O tratamento deve ser sempre individualizado, visando controlar os sintomas, impedir o crescimento do mioma e garantir conforto e qualidade de vida à paciente. A metodologia cirúrgica é indicada apenas em casos muito específicos, em que o mioma está pressionando outros órgãos ou causando sintomas intensos.

Qual a relação entre os miomas uterinos e a infertilidade?

Estima-se que entre 3% e 5% dos casos de infertilidade feminina estejam associados à presença de miomas uterinos, sendo que 15% deles estão associados a outros fatores de infertilidade — como endometriose ou doença inflamatória pélvica. Por mais que seja benigna, a existência deste tumor pode fazer com que a parte interna do útero apresente deformidades e alterações circulatórias, dificultando a gestação.

Os miomas podem ocupar qualquer região do útero e, quanto mais perto eles estiverem da parte central, maior a probabilidade de provocarem sangramento e dificultarem uma gestação, podendo levar a quadros de abortamento. Por isso, mulheres com quadros de mioma uterino que desejam engravidar devem ser acompanhadas por um ginecologista, mesmo nos casos em que a alteração é assintomática.

É importante destacar que não é sempre que a presença do mioma vai dificultar a gravidez, sendo também bastante comum que o problema só seja identificado ao longo de uma gestação. Isso acontece porque o processo gestacional altera muito os hormônios do organismo feminino, favorecendo o crescimento dos miomas uterinos. Nesses casos, é necessário acompanhar o volume do mioma ao longo das semanas.

Riscos do mioma na gravidez

É muito comum que, mesmo diante da presença de miomas uterinos, a mulher consiga engravidar e ter uma gestação saudável. Os sintomas específicos da alteração geralmente só aparecem quando os tumores são grandes e numerosos, podendo fazer com que a gravidez seja considerada de risco. Algumas das principais complicações possíveis nesses casos são:

  • Dor e cólica abdominal em qualquer período da gestação;
  • Aborto;
  • Descolamento da placenta;
  • Limitação do crescimento do bebê;
  • Parto prematuro.

O acompanhamento obstétrico e ginecológico é fundamental para manter a alteração sob controle e evitar complicações à saúde da mãe ou do bebê. O parto também pode precisar de planejamento mais cuidadoso, principalmente no caso de miomas com elevado risco de sangramento, que são muito dolorosos e que ocupam muito espaço no útero. A escolha pelo tipo de parto mais adequado deve ser discutida previamente com o obstetra.

Miomas uterinos e fertilidade: quando tratar?

Em geral, todos os miomas que estejam na cavidade uterina (chamados submucosos) ou que comprimem e distorcem a região devem ser retirados para que não dificultem a gestação ou afetem o desenvolvimento do feto. Dependendo do caso, a presença do tumor benigno é o fator determinante para a infertilidade feminina e sua remoção é o tratamento mais adequado para que a paciente consiga engravidar naturalmente.

Apenas um médico especializado em reprodução humana poderá avaliar se os miomas uterinos realmente estão causando dificuldades para engravidar e se a cirurgia é a melhor opção para o caso. A remoção do mioma submucoso pode ser realizada a partir da histeroscopia cirúrgica, um procedimento que não demanda uma incisão cirúrgica e permite uma recuperação mais ágil da paciente.

No caso dos miomas intramurais, localizados entre as paredes do útero, a cirurgia pode ser realizada a partir de metodologia convencional, videolaparoscopia ou embolização do mioma. A utilização de alguns medicamentos também pode ser indicada antes do procedimento cirúrgico, de modo a promover a redução dos miomas uterinos e facilitar a remoção dos tumores existentes.

Para saber mais a respeito dos miomas uterinos, como eles afetam o organismo feminino e a relação entre esses tumores e a fertilidade feminina, entre em contato e agende uma consulta com os profissionais da Mater Prime.

Fontes:

Manual MSD

Biblioteca Virtual em Saúde

Pfizer

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Fatores de Infertilidade Feminina

Sou o Rodrigo Rosa, sócio fundador da Mater Prime, Clínica de Reprodução Humana. Nós temos como propósito realizar o sonho dos casais de conceber uma nova vida! Para isso, contamos com equipe multidisciplinar composta por especialistas em reprodução humana, ginecologistas, obstetras, entre outros.

Entre em contato e saiba mais

Calculadora do Período Fértil Calculadora do Período Fértil

Adicione os seus dados na calculadora de período fértil e descubra qual é o dia previsto de sua ovulação para programar sua gravidez ou se prevenir de uma gestação fora dos planos.

Fatores de Infertilidade Feminina