Desenvolvimento embrionário: como ocorre?

Fale conosco pelo WhatsApp
Desenvolvimento embrionário: como ocorre?

O desenvolvimento do embrião requer um acompanhamento rigoroso por parte dos profissionais envolvidos no processo

O desenvolvimento embrionário é o processo pelo qual um novo ser humano se forma a partir da união de dois gametas: o espermatozoide e o óvulo. Tal processo envolve diversas etapas, desde a fecundação até o nascimento, nas quais o embrião passa por mudanças morfológicas e funcionais, tornando-o cada vez mais complexo.

Neste artigo, vamos explicar o que é o desenvolvimento embrionário, como ele ocorre, quais são as suas fases e quanto tempo ele dura. Acompanhe!

Fale com nossa equipe agora mesmo e agende a sua FIV!

O que é desenvolvimento embrionário?

Primordialmente, o desenvolvimento embrionário é o conjunto de transformações que ocorrem no embrião desde a sua formação até o nascimento. Em suma, o embrião é a primeira fase do desenvolvimento humano, o qual se inicia com a fecundação e termina com a formação dos principais órgãos e sistemas do corpo.

Após essa fase, o embrião passa a ser chamado de feto, sendo a segunda fase do desenvolvimento humano, que vai até o final da gestação.

Dito isso, podemos dizer que o desenvolvimento do embrião é fundamental para garantir a viabilidade e a saúde do futuro bebê, pois é nesse período que se definem as características genéticas, anatômicas e fisiológicas do indivíduo.

Como ocorre o desenvolvimento embrionário?

Sobretudo, o desenvolvimento embrionário ocorre por meio de dois processos principais: a clivagem e a gastrulação. A clivagem é o processo de divisão celular que decorre logo após a fecundação, no qual o zigoto se transforma em uma massa de células chamada mórula, e depois em uma estrutura cavitária chamada blastocisto.

Já a gastrulação é o processo de formação das camadas germinativas que ocorre após a implantação do blastocisto no útero, onde as células se organizam em três folhetos:

  • Ectoderme;
  • Mesoderme;
  • Endoderme.

Logo, a clivagem e a gastrulação são responsáveis pela formação dos tecidos básicos do corpo humano. A partir desses tecidos, ocorre outro processo chamado organogênese, o qual é a formação dos órgãos e sistemas específicos do corpo humano, e se estende até o final do processo embrionário.

Fases do desenvolvimento embrionário

À primeira vista, o desenvolvimento embrionário pode ser dividido em quatro fases principais: zigoto, mórula, blastocisto e gástrula. Cada uma dessas fases tem características próprias e dura um determinado tempo.

Zigoto

É a primeira fase do desenvolvimento de embriões. Ele se forma quando um espermatozoide penetra em um óvulo e os seus núcleos se fundem, originando uma única célula com 46 cromossomos (23 de cada gameta), essa fase dura cerca de 24 horas.

Mórula

A segunda fase é chamada de mórula, ela se forma quando o zigoto sofre sucessivas divisões celulares por mitose, originando uma massa compacta de 12 a 16 células chamadas blastômeros. A mórula tem cerca de 0,2 mm de diâmetro e continua se movendo pelas trompas de Falópio em direção ao útero, tal fase dura cerca de dois dias.

Blastocisto

Por fim, temos o blastocisto, o qual é a terceira fase do processo. Ele se forma quando a mórula sofre uma reorganização celular, originando uma estrutura cavitária com duas camadas: o trofoblasto (camada externa que dará origem à placenta) e o embrioblasto (camada interna que dará origem ao embrião). Já essa fase dura cerca de três dias.

Agende uma consulta com nossos especialistas para realizar a FIV!

Tempo para o desenvolvimento embrionário

Em síntese, o tempo para o desenvolvimento embrionário varia de acordo com cada fase e com cada indivíduo. No entanto, em média, o processo dura cerca de oito semanas (ou dois meses) desde a fecundação até o final da organogênese.

Ademais, o tempo também dependerá do tipo de reprodução que ocorre: natural ou assistida. Na reprodução natural, o desenvolvimento de embriões ocorre dentro do corpo da mulher, desde a fecundação nas trompas de Falópio até a implantação no útero.

Em contrapartida, em alguns tratamentos de reprodução assistida — como a FIV e a ICSI —, o desenvolvimento embrionário ocorre em parte fora do corpo da mulher, em laboratório, e em parte dentro do corpo da mulher, após a transferência do embrião para o útero.

Como é o desenvolvimento do embrião na FIV?

O desenvolvimento do embrião na FIV segue as mesmas etapas do desenvolvimento embrionário natural, mas com algumas divergências.

A fecundação ocorre em um ambiente controlado, onde os gametas são colocados em uma placa de cultura com um meio nutritivo que simula as condições das trompas de Falópio. Além disso, o desenvolvimento ocorre em incubadoras que mantêm a temperatura, a umidade e o pH adequados para o crescimento e a diferenciação celular do embrião.

Após esse período, o embrião é transferido para o útero da mulher em um estágio específico, que pode ser no terceiro dia (D3) ou no quinto, ou sexto dia (blastocisto).

Em suma, a escolha do estágio de transferência depende de vários fatores, como a qualidade dos embriões, a idade da mulher, o número de embriões disponíveis e as características do endométrio.

Entre em contato com a Mater Prime e agende uma consulta!

Fontes:

Mater Prime

Manual MSD

Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida

Agende sua consulta

Para agendar uma consulta, preencha o formulário abaixo com seus dados e nossa equipe retornará para confirmar o agendamento

Posts Recentes

Categorias

Realize o sonho de ter seu bebê em casa

Clínica

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Agende sua consulta

Instagram Dr. Rodrigo RosaYoutube Dr. Rodrigo Rosa x