Fale conosco pelo WhatsApp

Devo tomar remédio para engravidar?

desmonstração de aplicação de remédio para engravidar

Saiba em quais situações esse tipo de medicação é indicado e quais cuidados você deve ter

Muitas mulheres, ansiosas por engravidarem, acabam recorrendo ao uso de algum tipo de remédio para engravidar, sem nenhuma indicação médica e sem conhecer os riscos da automedicação.

Os remédios para engravidar, também chamados de indutores de ovulação, têm como objetivo regular os hormônios femininos e tratar problemas de saúde que podem dificultar a gravidez ou causar infertilidade. Nas mulheres, a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) pode levar a esse quadro. Nos homens, a baixa produção de espermatozoides.

Porém, o tratamento com remédio para engravidar deve ser orientado pelo ginecologista, no caso das mulheres, ou pelo urologista, no caso dos homens.

Quando o remédio para engravidar é indicado?

Em geral, o remédio para engravidar é indicado após seis meses a um ano de tentativas de gravidez sem sucesso, a depender da idade da mulher. Mas o casal deve estar ciente de que esse tipo de medicação não favorece qualquer quadro de infertilidade. Geralmente, os casais que irão se beneficiar do tratamento com indutores da ovulação são queles que tem problemas para ovular (mulheres com Síndrome dos Ovários Policísticos).

Ao indicar um remédio para engravidar, o médico tem como objetivo recrutar folículos e fazer com que a paciente ovule. Esse processo precisa ser acompanhado pelo especialista, pois há o risco do recrutamento de muitos folículos, o que pode levar a uma gestação múltipla.

Os médicos aconselham a utilização do remédio para engravidar em mulheres que têm ovulação irregular ou que têm ausência total da ovulação. Porém, essas duas situações devem ser diagnosticadas pelo especialista por meio de exames, como a ultrassonografia, e exames laboratoriais (dosagens hormonais) e exame físico.

Os remédios para engravidar geralmente são administrados por via oral ou subcutânea (injetável). A diferença entre um e outro é que os medicamentos de uso oral induzem as gonadotrofinas nas pacientes fazendo com que elas produzam mais o hormônio folículo estimulante (FSH). No caso das injeções, o hormônio é aplicado diretamente.

Os remédios para engravidar agem aumentando a quantidade no sangue do FSH, que, por sua vez, estimula o crescimento dos folículos ovarianos. Assim, quando o folículo cresce, há também o aumento de outro hormônio importante para a gestação, o hormônio luteinizante (LH), que leva ao amadurecimento e à liberação dos óvulos.

Para aumentar a concentração no sangue destes hormônios, o remédio para engravidar, ou indutor de ovulação, leva a uma maior liberação de FSH e LH pela hipófise (glândula que produz esses hormônios). É assim que essas medicações estimulam o processo ovulatório.

Mas, como todo medicamento, o remédio para engravidar pode causar efeitos colaterais, sendo os mais comuns:

  • Sensibilidade aumentada nos seios;
  • Dor abdominal;
  • Enjoos;
  • Visão turva;
  • Cansaço;
  • Aumento de peso;
  • Irritabilidade;
  • Hiperestimulação ovariana.

Como é feito o tratamento com o remédio para engravidar?

O tratamento com remédio para engravidar é realizado geralmente com a administração da medicação por 5 dias no início do ciclo menstrual. Após esse período serão feitos exames de ultrassom para avaliar o crescimento folicular e o melhor momento para o disparo da ovulação e definir a melhor data da relação sexual ou da técnica de reprodução assistida a ser instituída.

O tratamento com remédio para engravidar pode ser feito por no máximo de seis a doze meses.

Taxas de sucesso dos remédios para engravidar

Estima-se que 70% das pacientes ovulam nos primeiros três meses de tratamento. Nas pacientes que atingem a ovulação, as taxas de gravidez variam entre 15% e 50%. A variação das taxas de gravidez é grande porque a fecundação depende de vários outros fatores, como idade da mulher, seu peso, momento do ciclo em que ocorreu a relação sexual, além da velocidade e da motilidade dos espermatozoides.

Para qualquer tipo de tratamento para problemas de infertilidade, o casal deve se consultar primeiro com um especialista em reprodução humana. Apenas profissionais capacitados podem avaliar os prós e contras e a necessidade de uso de um remédio para engravidar. Confie na Mater Prime para auxiliar você no caso de dificuldades para engravidar. Nossos especialistas estão prontos para esclarecer todas as dúvidas que você possa vir a ter e a indicar o tratamento mais seguro e adequado.

 

Fontes

Mater Prime

Pebmed

AbcMed

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Posts Recentes

Categorias

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba novidades e dicas