Fale conosco pelo WhatsApp

Como engravidar depois dos 40?

Engravidar após os 40 anos

Tratamentos de reprodução humana permitem engravidar depois dos 40 anos com mais segurança e chances de sucesso, mas atenção, um médico especializado é essencial desde o planejamento.

Atualmente, objetivos pessoais, profissionais, financeiros ou mesmo a saúde podem motivar uma mulher a postergar a maternidade.

Saber que existem possibilidades de como engravidar depois dos 40 anos é fundamental para que as mulheres compreendam essas chances e façam a escolha mais apropriada às suas condições de vida e objetivos.

Engravidar após os 40 anos

Entenda melhor a seguir.

Qual a realidade da maternidade tardia no Brasil?

A maternidade mais tardia é uma realidade no País. Com a maior presença das mulheres no mercado de trabalho, muitas optam em postergar a gestação, pois buscam a realização de outros sonhos, além da maternidade.

A realização de outros sonhos antes da maternidade é mais frequente, mas também devemos considerar os casos de mulheres que se submeteram a tratamentos oncológicos ou de outras doenças que podem diminuir a fertilidade. Nesses casos, existe a opção, por exemplo, de preservar a fertilidade por meio do congelamento de óvulos.

Independentemente das motivações da mulher, a medicina especializada em reprodução assistida tem um papel fundamental nesse cenário que é cada vez mais comum no Brasil.

Uma pesquisa do Ministério da Saúde indica o crescimento desse tipo de gestação. Dados apurados em 2017 apontaram que entre 1995 até 2015 mais de 70 mil mulheres optaram por engravidar depois dos 40 anos; mais de 4 mil mulheres com idade entre 45 até 49 foram mães; e mais de 300 gestaram uma nova vida acima dos 50 anos.

Esses dados contribuem para que haja maior otimismo entre as mulheres com mais de 40 anos que desejam ser mães, pois, independentemente da idade, a realização do sonho da maternidade pode ocorrer enquanto essa mulher não estiver na menopausa.

Qual a idade limite para engravidar naturalmente?

Uma dúvida muito comum entre as tentantes é em relação à idade limite para engravidar naturalmente. Na verdade, a Medicina não faz a estimativa dessa forma, sendo que, enquanto ovular a mulher tem chances de engravidar, mas elas diminuem com o passar dos anos. A queda nas chances ocorre após os 35 anos, principalmente após os 38 anos, diminuindo drasticamente após os 42 anos.

Gestações em mulheres acima de 40 anos são de risco e demandam uma maior atenção médica para segurança da mãe e do bebê.

Quais as chances de engravidar em cada idade e após os 40 anos?

Estimativas de ginecologistas obstetras apontam que a chance da mulher engravidar após os 40 anos de forma natural é muito baixa, quando comparada a uma mulher mais nova, na casa dos 20 e 30 anos. Enquanto as mulheres mais novas têm 80% de chance de uma gestação de forma natural, para as mulheres com 40 ou mais, esse índice cai para 5-10%.

A cada faixa etária a mulher apresenta chances distintas de concepção por ciclo. Conheça a seguir:

  • Dos 26 aos 30 anos: 18% por ciclo, sendo que 85% engravidam em até 12 meses;
  • Dos 31 aos 35 anos: 15% por ciclo, sendo que 80% engravidam em até 12 meses;
  • Dos 36 aos 40 anos: 9% por ciclo, sendo que 30-50% engravidam em até 12 meses;
  • Dos 41 aos 42 anos: 4% por ciclo, sendo que 5% engravidam em até 12 meses;
  • Dos 43 aos 45 anos: 0,2% por ciclo, sendo que 1% engravidam em até 12 meses.

A maior dificuldade para engravidar após os 35 anos, com diminuição significativa das chances a partir dos 40 anos deve-se ao fato de que a mulher, com o passar dos anos, vai perdendo a sua capacidade reprodutiva, que está diretamente relacionada à produção de óvulos e a qualidade que eles apresentam com o passar da idade.

Desde o nascimento, mensalmente a mulher vai eliminando esses óvulos, sem a reposição dos mesmos.

Como engravidar depois dos 40 anos?

Portanto, consciente da dificuldade, por fatores biológicos, de engravidar após principalmente os 40 anos, e da demanda social cada vez maior nesse sentido, a Medicina tem alcançado avanços importantes. E a medicina especializada na reprodução humana assistida colabora de forma positiva para que as mulheres que optaram pela maternidade tardia possam concretizar esse sonho.

Uma das principais formas de como engravidar depois dos 40 anos é com o auxílio da Fertilização In Vitro (FIV), que consiste na fecundação do óvulo e espermatozoide em laboratório e posterior transferência do embrião para a cavidade uterina.

Muitas mulheres que engravidam após os 40 anos estão conscientes quanto aos cuidados adicionais que deverão ser tomados durante todo o processo de fertilização e da gestação devido às maiores chances de uma gravidez de risco em razão da idade materna.

Por mais saudável que a mulher seja, após os 40 anos, existe uma pré-disposição maior ao aparecimento de algumas condições médicas.

Dentre as respostas sobre como engravidar depois dos 40 anos, verificamos a existência de tratamentos de reprodução assistida, como a Mini-FIV, protocolos próprios, como quantidade de embriões transferidos em cada tentativa e exames auxiliares, como o teste ERA.

Usando de exemplo, a apresentadora Eliana precisou ficar boa parte de sua gestação tardia de repouso — ela engravidou aos 42 anos —, enquanto a cantora Ivete Sangalo, grávida de gêmeos após os 45, conseguiu manter a sua rotina agitada por quase todos os nove meses de gestação.

Esses casos nos lembram da importância de um acompanhado médico individualizado, pois apenas avaliando as condições da paciente, sua rotina, hábitos e saúde o especialista poderá recomendar os cuidados mais apropriados.

Reserva ovariana e a influência na FIV

É muito comum que, comprovada a capacidade gestacional da paciente — a reserva ovariana —, e a saúde do parceiro/doador, a mulher seja submetida a uma FIV. Os médicos vão induzir a estimulação dos folículos para conseguir extrair o maior número de óvulos maduros.

Com esse material biológico coletado, é a hora de manipular o material masculino/do parceiro, sendo que todos os processos são realizados em laboratório. Quando o especialista consegue um embrião viável, o mesmo é transferido ao útero da mulher, que foi previamente preparado para o recebimento.

A partir dos 38 anos, é indicado que a mulher faça o tratamento de reprodução assistida com estudo genético dos embriões ou com auxílio da ovodoação, que consiste em usar óvulos saudáveis doados por outra mulher. A ovodoação é comumente aplicada as mulheres com idade maior ou igual a 42 anos.

As chances de concepção em ciclos de FIV é um tem bastante explorado na literatura médica. Uma pesquisa da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, avaliou a taxa de gravidez da FIV em mulheres acima dos 40 anos com óvulos próprios. Os resultados, por idade, foram:

  • 20,8% de sucesso no ciclo de FIV em pacientes com 40 anos;
  • 15% de sucesso em pacientes com 41 anos;
  • 11,6% de sucesso em pacientes com 42 anos;
  • 2,8% de sucesso em pacientes com 43 anos ou mais.

Ainda que não exista uma data limite para tentativas de FIV, de acordo com as diretrizes do Conselho Federal de Medicina (CFM), estudos apontam que a partir de 45 anos as chances de sucesso no tratamento com óvulos próprios é de menos de 1% e as chances de embriões aneuploides aproxima-se de 100% aos 47 anos.

Apenas o especialista em reprodução humana poderá recomendar o tratamento mais apropriado ao caso, mas a paciente ainda poderá considerar o programa de ovorecepção.

Quais os riscos da gravidez tardia?

Infelizmente, engravidar após os 40 anos aumenta a chance do surgimento de inúmeras condições que comprometem a saúde materna e fetal, como:

  • Maior risco de aborto espontâneo;
  • Maior risco para o desenvolvimento de doenças cromossômicas, como a Síndrome de Down;
  • Desenvolvimento de diabete gestacional;
  • Pré-eclâmpsia;
  • Maiores chances de parto prematuro;
  • Crescimento intrauterino restrito;
  • Complicações genéticas.

Como já informado, não significa que todas as mulheres que engravidam após os 40 anos terão uma gestação de risco, e sim que a idade colabora para elevar as chances de algumas complicações.

Cuidados ao engravidar depois dos 40 anos

É indicado que as mulheres com idade superior aos 40 anos, quando decidirem engravidar, procurem pelo aconselhamento médico. O ideal é que esse processo se inicie três meses antes que as tentativas de engravidar comecem, para que o médico consiga identificar possíveis fatores de riscos e aconselhar o casal.

Nessa fase pode ser indicado o uso de vitaminas, porém isso fica a critério do médico que assiste a paciente. Em casos de doenças pré-existentes, como a obesidade ou hipertensão, é importante que a mulher seja bem assistida, para não acarretar ainda mais riscos ao bebê e à gestante.

Devido ao avançar da idade, o acompanhamento pré-natal torna-se mais rigoroso, sendo que pode ser indicado que a mulher faça visitas ao ginecologista obstetra mais de uma vez ao mês e tenha que se submeter a um número maior de exames no período.

Esses cuidados, assim como em uma gestação em qualquer idade, fazem parte da rotina. Por mais que muitos possam achar mais arriscado engravidar após os 40 anos, esse perigo diminui significativamente quando essa decisão é acompanhada de um bom aconselhamento médico.

Quer saber mais sobre engravidar depois dos 40 anos com especialistas? Entre em contato conosco!

Fontes:

Ministério da Saúde;

Clínica de Reprodução Humana Mater Prime;

Conselho Federal de Medicina (CFM).

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Posts Recentes

Categorias

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba novidades e dicas