Fale conosco pelo WhatsApp

Entenda tudo sobre Endometriose no Ovário

Mulher utiliza a mão direita para repousar a cabeça enquanto coloca a mão esquerda na região da barriga

Quando as células endometriais crescem fora da cavidade uterina — caracterizando a endometriose — é possível que elas sejam implantadas em outros órgãos próximos ao útero. Uma das regiões que pode ser acometida é a ovariana, configurando um quadro de endometriose no ovário.

Mulher utiliza a mão direita para repousar a cabeça enquanto coloca a mão esquerda na região da barriga
Imagem: Shutterstock

A endometriose no ovário é um dos tipos desta doença ginecológica. Também conhecida como endometrioma, a condição possui algumas particularidades que podem afetar o potencial fértil da mulher de uma forma mais significativa do que outros tipos de endometriose.

Confira abaixo mais informações sobre o endometrioma, com informações cedidas pelos especialistas em ginecologia da clínica Mater Prime.

Quais são os sintomas da endometriose no ovário?

Os sinais que indicam uma endometriose no ovário são muito similares aos sintomas dos outros tipos de endometriose, sendo que os principais são:

  • Desconforto durante as relações sexuais;
  • Cólica intensa no decorrer do ciclo menstrual;
  • Presença de sangue nas fezes, sobretudo durante a menstruação;
  • Dificuldade para engravidar depois de 12 meses de tentativas sem o uso de métodos contraceptivos.

Como é feito o diagnóstico e tratamento do endometrioma?

Além do relato da paciente, o ginecologista solicitará a realização de alguns exames para diagnosticar o endometrioma e entender a dimensão da lesão. O ultrassom transvaginal e a ressonância magnética são alguns dos exames que devem ser realizados durante a investigação diagnóstica.

Na maioria dos casos de endometriose no ovário é possível encontrar as células endometriais em outros locais — como no intestino, por exemplo —, fazendo com que o quadro seja ainda mais complexo. Apesar disso, a paciente poderá tratar a condição utilizando distintas estratégias.

A definição da melhor abordagem terapêutica para cada caso está diretamente relacionada à idade da paciente, extensão do endometrioma, intensidade dos sintomas apresentados e o desejo reprodutivo. Quando o endometrioma tem menos de três a quatro centímetros, a técnica terapêutica mais adotada costuma ser a medicamentosa.

Por outro lado, quando o tecido endometrial tem mais de quatro centímetros, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica. O ginecologista pode optar pela técnica laparoscópica ou convencional, tentando sempre que possível preservar a maior parte de tecido ovariano.

Ambos os tratamentos oferecem uma redução significativa nos sintomas relacionados ao endometrioma, mas isso não significa que a condição vai desaparecer. A cada novo ciclo menstrual, as células endometriais crescem e podem intensificar a lesão no ovário ou continuar se espalhando para outros órgãos.

Por esse motivo, é interessante combinar esses tratamentos com outras medidas complementares que possam melhorar ainda mais o bem-estar da paciente. A alimentação balanceada, com foco nos alimentos antioxidantes e anti-inflamatórios como o ômega-3, é uma das práticas que podem ser adotadas. Uma equipe multidisciplinar é especialmente indicada para esses casos.

Qual é a relação entre o endometrioma e a infertilidade?

A endometriose no ovário pode comprometer a fertilidade feminina devido ao impacto negativo que pode exercer na quantidade e qualidade óvulos. Contudo, é possível aumentar as chances de concepção por meio de tratamentos de reprodução humana.

Essas abordagens terapêuticas específicas para o tratamento da infertilidade devem ser analisadas juntamente com o ginecologista especialista em reprodução assistida. Dessa forma, a paciente saberá quais técnicas podem ser adotadas e quais são as chances de sucesso de cada uma.

A endometriose no ovário deve ser tratada com agilidade para que a taxa de sucesso seja maior e a paciente consiga mais qualidade de vida. Para isso, é fundamental procurar um ginecologista de qualidade e confiança assim que um ou mais dos sintomas citados anteriormente seja identificado. Caso queira saber mais sobre o endometrioma e suas formas de tratamento, entre em contato e agende uma consulta com um dos especialistas em ginecologia da clínica Mater Prime.

Fontes:

Clínica de Reprodução Humana – Mater Prime;

Ministério da Saúde.

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Posts Recentes

Categorias

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba novidades e dicas