Fale conosco pelo WhatsApp

Existe diferença entre endometriose e adenomiose?

Existe diferença entre endometriose e adenomiose?

Apesar de a endometriose e adenomiose tratarem-se de doenças relacionados ao tecido endometrial, essas condições apresentam diferenças entre si, sendo importante um diagnóstico correto para dar início ao tratamento mais adequado.

Existe diferença entre endometriose e adenomiose?

Ambas as condições podem ser potencializadas pela quantidade do hormônio estrogênio no organismo, sendo que uma maior concentração aumenta as chances de alguma das doenças estarem presentes ou piorarem, caso já existam. Elas também são associadas com a infertilidade feminina, sendo que em mulheres com endometriose a infertilidade pode ser identificada em 50% dos casos, enquanto na adenomiose aproximadamente 20% das pacientes enfrentam essa dificuldade.

Quais as diferenças entre endometriose e adenomiose?

Ainda que haja algumas semelhanças, a endometriose e adenomiose são patologias diferentes, sendo que a caracterização de cada uma das doenças depende do local no qual o tecido endometrial se concentra.

  • na endometriose o tecido endometrial está presente em outros locais que não o útero, como nos ovários, vagina, trompas, peritônio, intestino, bexiga e região atrás do colo uterino;
  • na adenomiose o tecido endometrial concentra-se na parede uterina (miométrio), desenvolvendo ainda glândulas do endométrio nesse local.

Assim, devido referir-se ao tecido endometrial em áreas diferentes do trato reprodutivo ou órgãos femininos, a endometriose e adenomiose são condições distintas e que exigem tratamentos específicos, o que torna fundamental um acompanhamento médico especializado e um diagnóstico correto.

Elas também apresentam algumas particularidades que as distinguem. A adenomiose, por exemplo, é mais frequente em mulheres que já engravidaram e também naquelas submetidas à curetagem, miomectomia ou parto cesárea. Dessa forma, essa doença é mais comum em mulheres entre 35 e 50 anos, diferentemente do que ocorre na endometriose. Essa patologia também desaparece naturalmente após a menopausa devido à ausência de estrogênio no organismo.

Tratamentos para endometriose e adenomiose

As diferenças entre a endometriose e adenomiose também se estendem às condutas necessárias para o tratamento adequado dessas patologias. Assim, o tratamento da endometriose pode ser cirúrgico, por meio da videolaparoscopia, que remove o tecido endometrial localizado em locais fora o útero, como o medicamentoso, que ameniza os sintomas relacionados com a condição. A opção de tratamento, entretanto, deve considerar os sintomas e também os desejos da paciente, caso exista desejo reprodutivo futuramente ou não.

No caso da adenomiose, caso a mulher queira engravidar, o tratamento envolve a administração de medicamentos para alívio dos sintomas e melhora da doença. Já para aquelas que não tem desejo reprodutivo, a menopausa irá amenizar e até curar a doença.

Assim, tanto no tratamento da endometriose como da adenomiose o ginecologista ou médico responsável deverá avaliar a gravidade dos sintomas e anseios da mulher na sugestão dos possíveis tratamentos. A endometriose e adenomiose são patologias distintas, sendo importante que a paciente conheça as particularidades de cada condição para definir junto ao especialista qual o conduta mais adequada.

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Posts Recentes

Categorias

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba novidades e dicas