Fale conosco pelo WhatsApp

Principais dúvidas sobre a Ovodoação

Ovodoação

A ovodoação nada mais é que a doação de óvulos a um banco de material genético ou clínica de reprodução humana assistida. A prática foi aceita e regulamentada junto ao Conselho Federal de Medicina (CFM) após amplas discussões e determinação de regras e princípios a serem seguidos.

Ovodoação

Para que seja realizada, a ovodoação segue algumas exigências e são justamente esses pormenores que acabam gerando inúmeras dúvidas acerca do procedimento.

Para  colaborar com as mulheres que querem doar seus óvulos e com aquelas que podem se beneficiar da recepção desse material biológico, os especialistas em reprodução humana assistida da Mater Prime responderam as principais dúvidas acerca do tema. Confira a seguir!

O que é ovodoação?

A ovodoação é a iniciativa de doar óvulos saudáveis a bancos de material genético e/ou clínicas de reprodução humana assistida. A medida pode ocorrer de forma altruísta, para ajudar mulheres que estão com dificuldades para engravidar, ou pelo que é denominado de doação compartilhada.

O que é doação compartilhada?

A doação compartilhada consiste em um acordo firmado entre doadora e receptora (intermediado pela clínica que assiste as duas mulheres) para que a mulher que fará ovodoação tenha parte de seu tratamento de reprodução custeado pela receptora.

É importante salientar que essa troca ocorra de forma anônima, sem as partes envolvidas se conhecerem. Cabe a clínica intermediar e fazer valer as regras acerca da medida em todo esse processo.

Quem pode doar óvulos?

Doar óvulos é uma medida altruísta, sendo permitido a mulheres acima dos 18 anos. Todo o protocolo para tal procedimento segue regras rígidas, sendo de fundamental importância que a ovodoação ocorra em clínicas devidamente registradas junto aos órgãos competentes como a Anvisa.

Essa doadora de óvulos deve ser saudável, não ter nenhuma Doença Sexualmente Transmissível (DST), ter até 35 anos, ter capacidade reprodutiva comprovada por intermédio de exames, ter ciência de que não terá ganhos financeiros com a doação e que abre mão de qualquer direito do material doado.

Qual idade é permitida para se candidatar?

É permitido se candidatar a doação de óvulos mulheres entre 18 até 35 anos que sejam saudáveis. Antes de doar, diversas análises laboratoriais são feitas para assegurar a qualidade do material doado.

Na Mater Prime essas doadoras devem se enquadrar em algumas exigências, são elas:

  • Ter menos de 30 anos;
  • Sem presença de doenças genéticas na família;
  • Ter boa reserva ovariana;
  • Não ser portadora de quaisquer doenças, inclusive as sexualmente transmissíveis.

As exigências quanto a permissão para fazer a ovodoação variam entre as clínicas, sendo fundamental se informar sobre todas as particularidades.

Ovodoação para reprodução humana

Quando optar pela ovodoação/ovorecepção?

As indicações para ovodoação/ovorecepção são:

  • Mulheres com falência ovariana;
  • Menopausa precoce;
  • Baixa reserva ovariana identificada pelo exame de hormônio antimulleriano;
  • Mulheres portadoras de graves doenças genéticas;
  • Que tiveram a fertilização impactada devido a tratamentos oncológicos;
  • Com obstrução das Trompas de Falópio.

Quem doa óvulos pode cobrar por eles?

Segundo a Resolução do CFM 2.168/2017, a ovodoação não pode ter fins lucrativos e/ou configurar uma transação comercial. Quem opta por doar seus óvulos é informada previamente sobre as condições acerca da iniciativa, sendo elas: doação é anônima, o gesto deve ser altruísta e é assinado um termo em que se abre mão de quaisquer direitos do material biológico doado.

Passo da doação de óvulos

Com todos os trâmites legais acertados entre a doadora de óvulos e a clínica que fará a recepção do material, essa mulher passará por um tratamento de estimulação ovariana.

Hormônios serão administrados para que os ovários da doadora produzam um número maior de folículos, que posteriormente se transformam em óvulos maduros.

Para analisar se a estimulação está surtindo o resultado esperado, a paciente que está doando os seus óvulos faz acompanhamento ultrassonográfico.

Identificado os óvulos e sua quantidade é feita a coleta. Isso ocorre em um consultório devidamente preparado, pois, para minimizar o desconforto é administrado um sedativo leve.

A coleta é feita por punção. Uma cânula acoplada ao equipamento de ultrassom aspira esses óvulos. Todo o material é analisado e utilizado posteriormente. A sua utilização tem como regra as características fenotípicas da receptora: altura, tom de pele, cor dos olhos, dos cabelos e afins.

Existe limite de doação?

Não existe limite. O que é de praxe nas clínicas de reprodução humana é não utilizar os óvulos doados a mais de uma receptora.

Essas são algumas das dúvidas acerca do processo de ovodoação. Caso ainda tenham restado questionamentos, entre em contato com a Mater Prime.

Agendar uma consulta - CTA Mater Prime

Fontes:

Conselho Federal de Medicina (CFM);

Ministério da Saúde;

Anvisa.

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Posts Recentes

Categorias

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba novidades e dicas