Fale conosco pelo WhatsApp

Qual é a melhor idade para fazer o congelamento de óvulos?

Qual é a melhor idade para fazer o congelamento de óvulos?

Nos últimos anos houve um crescimento expressivo das mulheres que desejam o congelamento de óvulos como opção para manter a fertilidade e poder retardar a maternidade sem receios relacionados à redução das chances de concepção.

Qual é a melhor idade para fazer o congelamento de óvulos?

É comprovado que a idade da mulher tem grande impacto nas chances de gravidez, assim, o congelamento é visto como uma alternativa de manter essas chances elevadas mesmo quando a maternidade ainda é um plano futuro. Entre as razões que incentivam essa atitude está a preocupação com a carreira profissional e adiamento de interesses como casamento e constituir família.

Congelamento de óvulos: dúvidas frequentes

O congelamento de óvulos é sim uma alternativa segura e eficaz para mulheres que querem preservar a fertilidade. Entretanto, é importante ter consciência de algumas informações.

Quando fazer o congelamento de óvulos?

Sabe-se que a fertilidade feminina, o que inclui a qualidade dos óvulos, reduz significativamente após os 35 anos. Assim, a indicação de melhor idade para fazer o congelamento de óvulos é até os 35 anos, sendo que quanto mais jovem, maiores as chances de obter óvulos saudáveis e viáveis para uma concepção no futuro.

Após essa idade, as chances de óvulos saudáveis reduzem bastante, sendo que a mulher pode sim fazer o congelamento, mas consciente de que as chances de material com qualidade para ser fecundado são menores. A Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH) contraindica que o congelamento seja realizado a partir dos 43 anos.

Em quais situações o tratamento é indicado?

O tratamento é indicado principalmente para mulheres que estejam nas seguintes situações:

  • Aquelas que serão submetidas a um tratamento oncológico, visto que a quimioterapia pode comprometer a fertilidade;
  • Mulheres com histórico de menopausa precoce na família e que, portanto, podem ter a fertilidade interrompida precocemente;
  • mulheres que desejam adiar a maternidade por motivos pessoais.

Como é realizado o procedimento?

O congelamento de óvulos tem início com a prescrição de medicamentos que contém hormônios com o objetivo de induzir a ovulação de vários folículos de uma vez. Essa medicação pode ser oral ou subcutânea e o estímulo dura de 10 a 12 dias. Em seguida, outra medicação é tomada para o amadurecimento desses folículos. Em até 36 horas deve ser realizada a aspiração guiada por ultrassonografia transvaginal. Em seguida, ocorre o congelamento desse material.

Quantos óvulos devem ser congelados?

A quantidade de óvulos que deve ser congelada pode variar, entretanto, indica-se uma média de 20 óvulos para que as chances de engravidar sejam significativas. Também deve-se considerar a idade da mulher. Por exemplo, 6 óvulos coletados com 30 anos apresentam chances maiores do que 10 óvulos coletados em uma mulher com 39 anos.

Quais as chances de gravidez futura?

A mulher deve ter consciência ao optar pelo procedimento que o congelamento de óvulos não garante totalmente uma gravidez futura. As chances são impactadas diretamente pela idade da mulher na época da coleta dos óvulos e na quantidade de óvulos obtidos.

As chances não reduzem devido o congelamento, mas indica-se que seja realizada a técnica de vitrificação, na qual o óvulo é congelado em segundos. Isso impede a formação de cristais no interior da célula, os quais poderiam comprometer a qualidade dela.

O tempo de congelamento também não influencia nas chances de sucesso, sendo que atualmente, os óvulos costumam ficar congelados por cerca de 10 anos, podendo esse tempo sofrer alterações sem prejuízos para o tratamento.

Após o óvulo descongelado ele deve ser fecundado em laboratório e transferido para o útero. Dessa forma, o sucesso dessas etapas também impacta as chances de gravidez.

O congelamento de óvulos é uma alternativa real para mulheres que desejam preservar a fertilidade seja por motivos de saúde ou pessoais. O procedimento deve ser conversado com um especialista em reprodução humana e realizado em uma clínica especializada para garantir que seja feito da melhor forma.

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Posts Recentes

Categorias

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba novidades e dicas