Tratamentos para engravidar em casos de baixa reserva ovariana

Fale conosco pelo WhatsApp

Conheça as técnicas em reprodução humana que possibilitam às mulheres com baixa reserva ovariana maiores chances de obter uma gravidez

Ao nascer, todas as mulheres já têm uma contagem de óvulos que vai diminuindo ao longo da vida. Esse número é chamado de reserva ovariana, que, quando está baixa, pode fazer com que a mulher tenha dificuldade de engravidar naturalmente. Por isso, é comum que essas mulheres procurem por tratamentos para engravidar em casos de baixa reserva ovariana.

Existe mais de uma opção de tratamentos para engravidar em casos de baixa reserva ovariana. A escolha do procedimento mais adequado é feita de acordo com a análise de fatores individuais da paciente, que indicarão qual técnica tem maiores chances de sucesso em seu caso.

Qual a importância da reserva ovariana para mulheres que querem engravidar?

A reserva ovariana, como dito, é a quantidade de óvulos disponíveis no corpo da mulher. Todos os meses, muitos folículos são recrutados, porém um óvulo é liberado pelo ovário durante o ciclo menstrual, podendo ser fecundado ou não. Isso quer dizer que, a cada mês, a reserva ovariana vai diminuindo gradativamente.

Por isso, pode-se dizer que uma das principais causas de baixa reserva ovariana é a idade, levando a problemas de fertilidade mais comumente em mulheres a partir dos 35 anos. Além disso, outros fatores podem causar o problema precocemente, tais como:

  • Fatores genéticos em mulheres mais jovens (como os que levam à menopausa precoce);
  • Cirurgias que afetam o tecido do ovário;
  • Cirurgias e tratamentos oncológicos;
  • Algumas doenças infecciosas, como a causada pelo citomegalovírus.

Um dos principais problemas da diminuição da reserva ovariana é a também diminuição das chances de sucesso na obtenção da gravidez. Isso ocorre porque a qualidade dos óvulos tende a diminuir à medida que a reserva também diminui, aumentando o risco de formação de embriões com alterações cromossômicas (aneuploides), que nem sempre conseguem se implantar no útero. Essa diminuição de qualidade está ligada principalmente ao tempo e idade da mulher.

Por isso, é importante que mulheres que apresentem qualquer fator de risco para o problema (principalmente a partir dos 35 anos) procurem um médico especialista em reprodução humana para avaliar a possibilidade de realização de um tratamento para engravidar em casos de baixa reserva ovariana.

Quais os tratamentos de reprodução humana indicados para baixa reserva ovariana?

Como dito anteriormente, existe mais de uma possibilidade de tratamentos para engravidar em casos de baixa reserva ovariana. O momento em que a mulher procura atendimento, bem como a época em que a gravidez é desejada e outros fatores individuais da paciente são levados em conta para escolher o melhor método.

Os principais tratamentos para engravidar em casos de baixa reserva ovariana são:

  • Mini FIV: uma variação da fertilização in vitro (FIV), a mini FIV pode ser realizada como um dos tratamentos para engravidar em casos de baixa reserva ovariana. A técnica se diferencia da FIV tradicional porque usa doses menores de medicação para pacientes que teriam a mesma resposta se usassem doses mais elevadas.
  • Ovodoação: entre os tratamentos para engravidar em casos de baixa reserva ovariana, a ovodoação, ou doação de óvulos, tem se tornado cada vez mais comum nos últimos anos. Consiste na utilização de um óvulo de boa qualidade proveniente de uma doadora anônima, que é fecundado pelo espermatozoide do parceiro da mulher que está realizando o tratamento. O embrião é então transferido ao útero e a gravidez transcorre normalmente.
  • Congelamento de óvulos: esta opção de tratamento para engravidar em casos de baixa reserva ovariana pode ser escolhida por mulheres jovens que desejam preservar sua fertilidade para engravidar futuramente. Após estimulação ovariana, seus óvulos são recolhidos e mantidos congelados até o momento em que desejarem engravidar por meio da FIV. É uma opção viável também para mulheres que apresentam histórico familiar de menopausa precoce ou que irão passar por tratamentos que diminuem a reserva ovariana, como os de câncer.

O apoio dos profissionais de uma clínica de reprodução humana é essencial para que as mulheres com baixa reserva ovariana realizem o sonho de ter um filho em seus braços. Para saber mais sobre os tratamentos para engravidar em casos de baixa reserva ovariana, entre em contato com a Mater Prime e agende uma consulta com um de nossos especialistas.

Fontes:

Clínica de Reprodução Humana Mater Prime

Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo)

Blog

Confira as últimas novidades do mundo da Reprodução Humana

Instagram Dr. Rodrigo RosaYoutube Dr. Rodrigo Rosa x