Fale conosco pelo WhatsApp

7 mitos sobre a Fertilização In Vitro (FIV)

7 mitos sobre a Fertilização In Vitro (FIV)

A infertilidade atinge milhares de casais em todo o mundo. Diversos podem ser os fatores para tal condição e é comum a frustração quando o assunto é esse tema. Entretanto, com o avanço da medicina reprodutiva e do número de clínicas especializadas em fertilização, como é o caso da Mater Prime, realizar o sonho da maternidade/paternidade ficou mais fácil. Inseminação Artificial, Fertilização In Vitro (FIV), FIV com técnica de injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI), namoro programado e demais tratamentos existentes na atualidade, ofertam resultados promissores.

7 mitos sobre a Fertilização In Vitro (FIV)

Todos, sem exceção, têm sua complexidade, mas é na FIV que a maioria dos casais veem a chance de realizar o sonho, e até criam diversos mitos em cima dela. É muito comum pacientes acharem que vão escolher o sexo do bebê, a cor de seus olhos e até do cabelo, entretanto isso não acontece, pois existem normas éticas que regem a conduta médica na reprodução assistida.

Para ajudar as pessoas que estão à procura de métodos de reprodução assistida e têm pesquisado mais sobre a FIV, os especialistas da Mater Prime listaram sete mitos sobre o tratamento. Confira:

1.      O tratamento é 100% eficaz

Mito. Como qualquer uma das técnicas de reprodução assistida, a Fertilização In Vitro (FIV) tem uma porcentagem de sucesso, sendo que pode variar entre a 45-60%, além de depender da idade e condições do embrião. Por vezes, o teste positivo de gravidez só acontece na segunda ou na terceira tentativa da FIV. Logo, achar que o método é 100% eficaz não condiz com a realidade e isso é amplamente discutido entre os pacientes e os médicos especialistas em reprodução.

2.      Só mulheres com alterações tubárias podem ser submetidas a técnica

Mito. Durante muitos anos a FIV foi a alternativa mais viável às mulheres com alteração tubária. Entretanto, com o avanço da técnica, outras condições de infertilidade podem ser tratadas com a técnica, logo, a indicação deve vir de um especialista.

3.      Reações adversas são comuns durante o tratamento

Isso é mito. O organismo reage de forma diferente em cada indivíduo, logo, algumas mulheres podem ter reações e outras não. Entre as reações possíveis estão: maior retenção de líquidos, deixando a paciente mais inchada, cefaleia, sensibilidade nas mamas, irritabilidade, aumento do volume abdominal, entre outros. Os sintomas podem ser controlados, não acarretando em algo mais grave. Há quem questione que o excesso de hormônios resulte em câncer, mas isso não é verdade.

4.      É necessário abstinência sexual durante o tratamento de FIV

Mito. É indicado a abstinência sexual nos dias após a transferência do embrião, assim como evitar exercícios de alto impacto.

5.      Vou escolher o sexo e demais características genéticas do bebê

Mito. Essa prática é proibida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). O médico especialista em reprodução humana e sua equipe podem manipular o material genético dos pais, examiná-lo para minimizar chances de doenças, mas não podem em hipótese nenhuma, selecionar pelo sexo — que é identificado pelo cromossomo X ou Y.

6.      A FIV resulta sempre em gestação gemelar

Mito. Existe uma regra relativa a quantidade de embriões a serem implantados durante o tratamento, sendo ela:

  • Em mulheres de até 35 anos, devem ser transferidos até dois embriões por tentativa;
  • Pacientes com idade que varia de 36 até os 40, até três embriões por tentativa;
  • Já em mulheres acima de 40 anos podem receber até quatro embriões.

A gravidez gemelar, ou seja, de gêmeos ou trigêmeos, é considerada uma gestação de risco, sendo que esses riscos podem afetar tanto a mãe quanto os bebês. Por isso é estipulado o número de blastocistos a serem transferidos, para minimizar a possibilidade de mais um bebê se formar.

7.      Bebês gerados com o auxílio da Fertilização In Vitro são mais saudáveis

Mito. A análise do material genético dos pais minimiza as chances do desenvolvimento de doenças genéticas. Entretanto, após a inserção do embrião do útero feminino e o mesmo se mantendo no local, a gestação ocorre de forma natural. O bebê pode, ao longo da gestação, apresentar complicações, assim como em uma gestação concebida de forma natural.

Esses são alguns dos mitos relativos a FIV. Em caso de dúvidas, é indicado que o casal procure por médicos e clínicas especializadas em reprodução assistida.

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Posts Recentes

Categorias

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba novidades e dicas