Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs)

Fale conosco pelo WhatsApp

O uso de preservativos é a melhor forma de prevenir o contágio das infecções sexualmente transmissíveis

As Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) são provocadas por microrganismos, tais como vírus, bactérias e fungos, durante a relação sexual (anal, vaginal ou oral). A transmissão acontece quando não há uso de preservativos masculino ou feminino por uma pessoa que esteja infectada. Porém, muitas ISTs são transmitidas por outras maneiras, como em transfusões de sangue, compartilhamento de objetos perfurocortantes ou ainda da mãe para o bebê durante a gestação, parto ou amamentação.

Desde 2016, o Ministério da Saúde alterou o termo Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) para Infecções Sexualmente Transmissíveis, porque uma pessoa pode transmitir uma infecção e ser completamente assintomática, ao contrário do termo doença, que provoca sintomas visíveis e complicações no organismo.

Quais são as principais infecções sexualmente transmissíveis?

As infecções sexualmente transmissíveis mais conhecidas são:

  • Sífilis;
  • Cancro mole (cancroide);
  • Herpes genital;
  • HPV;
  • Gonorreia;
  • Clamídia;
  • Infecção pelo HIV;
  • Infecção pelo HTLV;
  • Hepatite B;
  • Doença Inflamatória Pélvica (DIP);
  • Tricomoníase.

Quais são os sintomas mais comuns?

Os sintomas podem variar de acordo com o sexo da pessoa. Por exemplo, a gonorreia, causada por uma bactéria, se manifesta nos homens por meio de dor e ardência para urinar, dores e inchaço nos testículos e secreções no pênis. Já nas mulheres, os sintomas mais comuns são corrimento vaginal amarelado semelhante ao pus, sangramentos e dores pélvicas e ao urinar.

Uma das infecções sexualmente transmissíveis mais comuns que existem, o Papilomavírus Humano (HPV) pode acometer homens e mulheres que não se previnem durante o ato sexual. Nos homens, o HPV causa verrugas em toda a região do pênis, bolsa escrotal, ânus e canal da uretra. Nas mulheres, as verrugas surgem nos grandes e pequenos lábios da vagina, vulva, parede vaginal, colo do útero e ânus.

No geral, os sintomas das infecções sexualmente transmissíveis podem variar entre:

  • Ardência ao urinar;
  • Lesões e verrugas na região genital;
  • Dores pélvicas;
  • Coceiras na genitália;
  • Corrimento e lesões na pele.

Os sinais mais evidentes aparecem primeiro nas genitais, mas podem se espalhar para outras regiões do corpo dependendo da infecção. No entanto, algumas ISTs não apresentam qualquer tipo de sintoma, mas a falta de um tratamento adequado pode levar a pessoa a ter complicações mais graves, como infertilidade, câncer e até mesmo a morte.

Características de ISTs por feridas

As feridas podem aparecer nos órgãos genitais ou em demais partes do corpo e podem ou não causar dor. As infecções sexualmente transmissíveis que apresentam esse sintoma são:

  • Sífilis;
  • Herpes genital;
  • Cancroide;
  • Linfogranuloma venéreo.

Características de ISTs por corrimentos

O corrimento é mais um sintoma comum em algumas infecções sexualmente transmissíveis, como gonorreia, clamídia e tricomoníase, e podem ocorrer nos órgãos genitais e no ânus com as seguintes características:

  • De cor esbranquiçada, esverdeada ou amarelada;
  • Podem ter cheiro forte;
  • Causar coceiras;
  • Causar dor ao urinar ou durante as relações sexuais.

Características de ISTs por verrugas anogenitais

Geralmente, essas verrugas não doem, provocando irritação e coceira. Elas são causadas pelo HPV e adquirem a forma de couve-flor nos estágios mais avançados da infecção. Vale lembrar que alguns tipos de HPV podem vir a se tornar um câncer caso não haja tratamento.

Como prevenir as infecções sexualmente transmissíveis?

Não existe método mais eficaz de prevenção do que o uso de preservativo masculino e feminino nas relações sexuais. Como outras ISTs podem ser transmitidas de diferentes maneiras, é importante também tomar alguns cuidados:

  • Não compartilhar agulhas;
  • Utilizar materiais descartáveis ou esterilizados quando for ao dentista, manicure ou acupuntura;
  • Manter a vacinação contra HPV e hepatite B em dia;
  • Realizar todos os exames pré-natais para não haver transmissão da mãe para o bebê.

As ISTs podem afetar as fertilidades masculina e feminina?

Já dissemos que as ISTs, quando não tratadas corretamente, podem provocar graves consequências para a saúde, mas existem duas delas que afetam diretamente a capacidade reprodutiva de homens e mulheres: a clamídia e a gonorreia.

Nas mulheres, o quadro dessas duas infecções pode evoluir para a doença inflamatória pélvica (DIP) e causar inflamações nos órgãos reprodutores que levam à infertilidade.

No caso dos homens, podem ocorrer inflamações nos testículos, epidídimos, vasos deferentes e próstata, por exemplo. Um quadro de epididimite – inflamação nos canais que armazenam os espermatozoides após serem produzidos – pode prejudicar a qualidade e a quantidade do gameta masculino e impedir a fecundação.

No caso de algumas das infecções sexualmente transmissíveis terem causado danos ao sistema reprodutor, as pessoas que desejam engravidar podem recorrer às técnicas de reprodução assistida, como fertilização in vitro (FIV). Para saber mais sobre como proceder nesses casos, entre em contato com a Mater Prime.

Fontes:

Mater Prime

Ministério da Saúde

Manual MSD

Blog

Confira as últimas novidades do mundo da Reprodução Humana

Instagram Dr. Rodrigo RosaYoutube Dr. Rodrigo Rosa x