Receptividade endometrial: o que é e sua importância

Fale conosco pelo WhatsApp
Receptividade endometrial: o que é e sua importância

A receptividade endometrial é um fator crucial para o sucesso da gravidez, tanto natural quanto de reprodução assistida

A gravidez é um processo complexo que envolve diversos fatores biológicos, hormonais e emocionais. Um desses fatores é a receptividade endometrial, que se refere à capacidade do endométrio acolher o embrião e permitir a sua implantação

O endométrio é o tecido que reveste o interior do útero, cumprindo um papel fundamental na reprodução humana. É nele que o embrião se implanta e se desenvolve durante toda a gestação. Para que isso aconteça, porém, é preciso que sua estrutura apresente um estado adequado de receptividade, ou seja, que o endométrio esteja preparado para receber o embrião e permitir sua fixação.

Para entender melhor e saber por que a condição receptiva do endométrio é importante para a gestação, continue a leitura!

Quero saber mais sobre receptividade endometrial

Agende uma consulta

O que é receptividade endometrial?

A receptividade endometrial é a capacidade de o endométrio se tornar apto para a implantação do embrião. Essa capacidade varia ao longo do ciclo menstrual, sob a influência dos hormônios estrogênio e progesterona — responsáveis por regular as mudanças na espessura, na vascularização e na expressão gênica do endométrio.

O período em que o endométrio está mais receptivo é chamado de janela de implantação, e costuma ocorrer entre o 19º e o 21º dia do ciclo menstrual, ou seja: cerca de 5 a 7 dias após a ovulação.

Nesse intervalo, o endométrio apresenta características que favorecem a adesão, invasão e a proliferação do embrião, como a presença de moléculas de adesão, de fatores de crescimento e de citocinas.

Por que a receptividade endometrial é importante para a gestação?

Em suma, a receptividade endometrial é um fator essencial para o sucesso da gestação, tanto natural quanto assistida. Isso porque a implantação do embrião é uma etapa crítica e complexa, que depende de uma sincronia entre o desenvolvimento embrionário e a condição endometrial.

Sendo assim, se o endométrio não estiver receptivo no momento da transferência ou após a relação sexual o embrião não conseguirá se fixar e não será iniciado o processo de gestação.

O que pode afetar a receptividade endometrial?

A receptividade endometrial pode ser afetada por diversos fatores, tanto internos quanto externos. Os principais são:

  • Alterações hormonais;
  • Alterações genéticas;
  • Pólipos, miomas, aderências ou malformações uterinas;
  • Alterações inflamatórias ou infecciosas, como endometrite, endometriose ou infecções sexualmente transmissíveis.

Além disso, fatores como estresse, tabagismo, obesidade e exposição a poluentes ou substâncias tóxicas também impactam na receptividade endometrial.

Quero marcar uma consulta com um especialista!

Agende uma consulta

Como é analisada a receptividade endometrial?

A análise da receptividade endometrial pode ser feita por meio de métodos como o teste ERA, que é realizado por meio de uma biópsia endometrial. Entenda melhor como esse processo é realizado a seguir:

Teste ERA

O teste ERA é uma sigla para Endometrial Receptivity Analysis, uma biópsia que visa identificar o momento mais propício para a transferência do embrião no ciclo de fertilização in vitro (FIV). Trata-se de uma avaliação indicada para casais que tiveram falha de implantação em tentativas anteriores de FIV com embriões de alta qualidade, ou que desejam prevenir falhas de implantação por outros fatores.

Para a realização do teste, é feito um ciclo de preparo artificial do endométrio, em que a paciente recebe hormônios para simular as fases do ciclo menstrual. No dia previsto para a janela de implantação, é feita uma biópsia do endométrio, e a amostra é enviada para um laboratório. O resultado do teste pode ser:

  • Receptivo, quando o endométrio está apto para a implantação do embrião;
  • Pré-receptivo, quando o endométrio ainda não está apto para a implantação do embrião;
  • Pós-receptivo, quando o endométrio já passou do período de receptividade.

A realização do teste ERA tem como vantagem a personalização da transferência do embrião conforme a janela de implantação de cada paciente. Dessa maneira, diminui-se as falhas de implantação e aumenta as chances de gravidez.

Como melhorar a receptividade endometrial

A melhora da receptividade endometrial depende da identificação e do tratamento das possíveis causas que podem estar afetando a sua qualidade. Além disso, existem algumas medidas que podem contribuir para a otimização da receptividade endometrial, como manter uma alimentação saudável e equilibrada, a fim de regular os hormônios e melhorar a qualidade do endométrio e do embrião.

A prática de atividades físicas também pode melhorar o fluxo sanguíneo, bem como a oxigenação do endométrio, reduzindo o estresse e a liberação de endorfinas.

Por fim, o ideal é sempre seguir as orientações médicas em relação aos cuidados para aumentar as chances de gestação. O acompanhamento médico é fundamental para avaliar a receptividade endometrial e indicar a melhor estratégia de reprodução assistida para cada casal.

Entre em contato e agende uma consulta com a Mater Prime para saber mais.

Agende uma consulta

Fontes:

Mater Prime

Associação Brasileira de Reprodução Assistida

 

Agende sua consulta

Para agendar uma consulta, preencha o formulário abaixo com seus dados e nossa equipe retornará para confirmar o agendamento

Posts Recentes

Categorias

Realize o sonho de ter seu bebê em casa

Clínica

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Agende sua consulta

Instagram Dr. Rodrigo RosaYoutube Dr. Rodrigo Rosa x