Fale conosco pelo WhatsApp

Trombofilia: quais são os sintomas?

seringa em mão de médico com mulher gravida ao fundo

Condição é uma causa comum de infertilidade feminina e aborto

A trombofilia é definida como a tendência à formação de trombose nos vasos sanguíneos, decorrente de alterações no sistema de coagulação do sangue. É como se o sangue se tornasse mais espesso, mais grosso, o que aumenta o risco de problemas graves como acidente vascular cerebral ou embolia pulmonar (dificuldade na respiração e falta de ar).

Na gravidez, a trombofilia representa maior chance de abortos repetitivos e riscos de problemas no desenvolvimento do bebê e até de morte fetal e materna durante e no pós-parto. O risco de trombose aumenta em casos de mulheres grávidas e puérperas ou com idade mais avançada.

Algumas pessoas já nascem com predisposição ao desenvolvimento de trombose. A trombofilia hereditária pode estar associada, entre outras causas, à deficiência dos inibidores da coagulação, como proteína C, proteína S e antitrombina. O risco de manifestar o problema aumenta conforme a idade e a interação com outros fatores de risco.

Os principais fatores são:

  • Gravidez e puerpério;
  • Doenças oncológicas;
  • Excesso de peso;
  • Terapias de reposição hormonal;
  • Imobilização após cirurgia;
  • Diabetes;
  • Doenças inflamatórias crônicas;
  • Tabagismo.

Mas a trombofilia também pode ser adquirida, ou seja, o corpo começa a produzir anticorpos contra o próprio organismo devido a algum fator desencadeante.

Uma causa de trombofilia adquirida é a síndrome antifosfolipídica (SAF), uma desordem sistêmica e autoimune que leva a altos níveis de anticorpos antifosfolípides. Essa alteração pode causar a formação de coágulos dentro dos vasos sanguíneos placentários e provocar diversos desfechos obstétricos desfavoráveis.

Sintomas da trombofilia

Na maioria dos casos a trombofilia é assintomática. Os sintomas só se manifestam quando os coágulos ocluem (causam obstrução, interrupção do fluxo sanguíneo) uma artéria ou veia, se tornando desta forma um quadro de trombose. O problema ocorre com mais frequência nos membros inferiores do corpo e pode apresentar os seguintes sintomas:

  • Dor constante na região;
  • Inchaço na região afetada;
  • Aumento da temperatura no local do trombo;
  • Vermelhidão ou tom azulado na área atingida;
  • Sensibilidade no local.

Outros sintomas importantes da trombofilia estão relacionados às complicações obstétricas. Dentre eles, destacam-se:

  • Abortamentos de repetição;
  • Retardo no crescimento do feto, em razão da obstrução venal que dificulta o transporte de nutrientes;
  • Descolamento prévio da placenta;
  • Pré-eclâmpsia;
  • Partos prematuros;
  • Óbitos fetais.

Qual a relação entre trombofilia e infertilidade?

A trombofilia, além de ser um risco para a gestante, também pode causar infertilidade, pois pode ocasionar a oclusão dos pequenos vasos do endométrio e dificultar ou impedir a implantação do embrião após a concepção.

Como evitar riscos?

Mulheres com diagnóstico de trombofilia, principalmente aquelas que desejam engravidar, necessitam de acompanhamento médico e de mudanças no estilo de vida. Obesidade, sedentarismo e tabagismo são exemplos de fatores que contribuem para o surgimento da trombose.

Antes de engravidar, a paciente realiza uma investigação diagnóstica para avaliar se existe um risco aumentado de desenvolver uma trombofilia. Essa investigação não é padrão e nem é obrigatória e geralmente só é realizada quando o casal já apresenta um histórico pessoal e familiar de risco (história de abortos anteriores, parto prematuro, óbito fetal, ou quadros de trombose de membros, tromboembolismo pulmonar).

Em algumas situações, pode ser necessária a intervenção farmacológica. Os medicamentos anticoagulantes restabelecem a coagulação sanguínea adequada e ajudam a evitar a trombose. A prescrição é feita de acordo com as características de cada quadro; em geral, é indicado o uso de anticoagulantes ou antiagregantes plaquetários, como o ácido acetilsalicílico.

Embora seja uma condição considerada grave, a trombofilia é rara, porém, se a mulher apresenta abortos de repetição, infertilidade sem causa aparente, falhas em tratamentos de reprodução humana assistida ou tem casos da doença na família, deve procurar um especialista para avaliação do quadro. A Mater Prime conta com uma equipe especializada que pode ajudar você no diagnóstico e na recomendação do melhor tratamento.

Fontes

Mater Prime

MSD

Febrasgo

Desde 2012 ajudando pessoas a realizarem o sonho de gerar uma vida e formar uma família, a Mater Prime é uma clínica de reprodução humana que preza pelo atendimento humanizado e personalizado. Para isso, nosso espaço conta com uma estrutura completa e acolhedora, além de equipe especializada para tratar problemas de infertilidade.

Posts Recentes

Categorias

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba novidades e dicas